Quinta, 21 Setembro 2017

N Notícia - Papa

Papa Francisco: “Todos somos pecadores e podemos cair na corrupção”

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
PapaNa homilia da Missa celebrada na Casa Santa Marta, o Papa Francisco recordou que “todos somos pecadores” e que devemos evitar cair na corrupção que nos leva ao pecado.

“A única mulher que não tem pecado é Nossa Senhora”, assinalou o Santo Padre, que comentou o fragmento do Evangelho de São João, no qual os escribas e fariseus levam diante de Jesus uma mulher acusada de adultério, à qual queriam apedrejar. Mas, Jesus lhe salvou a vida e perdoou os pecados.

Comentou também o fragmento do livro de Daniel, na qual os anciãos e juízes do povo condenaram à morte Susana, acusando-a falsamente de adultério.

“Sempre existiram no mundo juízes corruptos. Existem também hoje em todas as partes do mundo. Por que a corrupção chega a uma pessoa?”, perguntou-se.

O Pontífice explicou que uma coisa é o pecado e outra a corrupção que conduz ao pecado. Porque a atitude do pecador pode ser a de dizer: “Porque uma coisa é o pecado: Eu pequei, escorreguei, sou infiel a Deus, mas procuro não fazer mais ou procuro me ajeitar com o Senhor ou pelo menos sei que isso não é bom. Outra é a corrupção. Existe corrupção quando o pecado entra, entra na consciência e não deixa lugar nem mesmo para o ar”.

No caso dos escribas e fariseus que levam a mulher adúltera a Jesus: “Jesus diz poucas coisas. Diz: ‘Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra’. E à pecadora diz: Eu não te condeno. Não peques mais”.

“Esta é a plenitude da lei, não a dos escribas e fariseus que tinham a mente corrompida, fazendo várias leis sem deixar espaço à misericórdia. Jesus é a plenitude da lei e Jesus julga com misericórdia”.

“Nós também – concluiu o Papa Francisco – julgamos no coração os outros. Somos corruptos? Ou ainda não? Parem. Paremos e olhemos Jesus que sempre julga com misericórdia: Eu também não te condeno. Podes ir em paz, e não peques mais”.

Evangelho comentado pelo Papa Francisco

João 8,1-11

Naquele tempo, 1Jesus foi para o monte das Oliveiras. 2De madrugada, voltou de novo ao Templo. Todo o povo se reuniu em volta dele. Sentando-se, começou a ensiná-los. 3Entretanto, os mestres da Lei e os fariseus trouxeram uma mulher surpreendida em adultério. Levando-a para o meio deles, 4disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. 5Moisés na Lei mandou apedrejar tais mulheres. Que dizes tu?”6Perguntavam isso para experimentar Jesus e para terem motivo de o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, começou a escrever com o dedo no chão. 7Como persistissem em interrogá-lo, Jesus ergueu-se e disse: “Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”. 8E tornando a inclinar-se, continuou a escrever no chão.9E eles, ouvindo o que Jesus falou, foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos; e Jesus ficou sozinho, com a mulher que estava lá, no meio, em pé. 10Então Jesus se levantou e disse: “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?” 11Ela respondeu: “Ninguém, Senhor”. Então Jesus lhe disse: “Eu, também, não te condeno. Podes ir, e de agora em diante não peques mais”.